top of page
  • Foto do escritorLuiza Bruscato

Mesa Brasileira da Pecuária Sustentável participa da Land & Carbon Lab’s – 2023 Summitb

A Mesa Brasileira da Pecuária Sustentável esteve presente na Land & Carbon Lab's - 2023 Summit, em Bruxelas, na Bélgica. Luiza Bruscato, diretora executiva da Mesa Brasileira, participou do painel Breaking Barriers in Grassland Monitoring: Fostering Collaborative Solutions and Interactive Dialogue Across Sectors (Quebrando Barreiras no Monitoramento de Pastagens: promovendo soluções colaborativas e diálogo interativo entre setores), que ocorreu no dia 28 de junho, sobre o papel das pastagens nas metas climáticas globais e a situação do monitoramento dessas áreas.


“Foi enriquecedor a troca de conhecimentos e experiências com vários especialistas e pesquisadores que se dedicam a coletar e analisar dados de todo o mundo para ajudar no monitoramento e melhoria das pastagens”, comentou Luiza sobre sua participação no bate-papo. “Aproveito para convidá-los a pensar como a informação científica pode impactar os trabalhadores rurais e como ajudá-los no processo de transformação que ocorrerá nos próximos anos para deter as mudanças climáticas”, finalizou Bruscato, informando que o Observatório Global de Pastagens está sendo lançado pela LAPIG, uma organização brasileira, durante o evento.


Breno Félix, CPO e co-fundador da AgroTools, associada da Mesa Brasileira, também foi debatedor no mesmo painel, bem como Laerte Ferreira, professor da LAPIG; Judith Francesca Mangani Kamoto, professora adjunta da Lilongwe University of Agriculture and Natural Resources (LUANAR); Leandro Leal Parente, pesquisador na OpenGeoHub Foundation; e Caroline Lehmann, chefe de diversidade tropical do Botanic Garden of Edinburgh.


Durante os três dias de evento, os mais de 500 participantes se reunirão para compartilhar conhecimento e debater o tema com o objetivo de avançar no desenvolvimento e implantação do monitoramento geoespacial em oito macro temas:

1. Acelerar a implementação da recuperação da paisagem local;

2. Combater o desmatamento e os crimes contra o meio ambiente;

3. Fortalecer a gestão de terras liderada pela comunidade;

4. Assegurar a responsabilidade por cadeias de suprimentos sem conversão;

5. Aprimorar mecanismos de política e financiamento para soluções baseadas no meio ambiente;

6. Planejar o uso da terra para sistemas alimentares mais sustentáveis;

7. Acompanhar o progresso dos compromissos globais;

8. Criar áreas urbanas mais igualitárias, sustentáveis e resilientes.


A participação da Mesa foi um convite do WRI (World Resources Institute) e do LAPIG (Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento).


O Summit, que ocorreu entre 27 e 29 de junho, é a principal conferência global para legisladores, profissionais praticantes e inovadores que buscam aproveitar o poder dos dados geoespaciais para atingir as metas de clima, natureza e desenvolvimento sustentável estipuladas para essa década.


Saiba mais sobre o Land & Carbon Summit. (https://summit2023.landcarbonlab.org/)

1 visualização0 comentário

Comments


bottom of page